Exposição “Atávico”

Nada nessa cerâmica em tom maior de Hilda Salomão soa falso. Ela nos remete as nossas remotas origens ao refletir o que restou de primitivas aldeias, vestígios, sombras do que foi; e quando se detém na figura humana nos painéis ou em esculturas, livres da estereotipia da superfície lisa, fica difícil para o espectador não se deixar envolver pela emoção.

Matilde Matos
Membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA e Associação Internacional de Críticos de Arte AICA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *